sexta-feira, 21 de maio de 2010

Flor

“Estou cansado Flor, e não é de preguiça.
Insisto em correr atrás de você, mas você não me olha.
Você não me toca, não respeita. Ri, simplesmente ri das minhas investidas.
Como eu queria abraçá-la, tocá-la, beijá-la. Eu cuidaria de você. Agradeceria a os céus por ter um anjo, viveria todos os dias em festa, comemorando sua presença...
Mas você não me olha, não me toca. Você não me respeita!
Dançaríamos, eu aprenderia. Cantaria, eu aprenderia.
Só queria ter você. E como essa saudade me maltrata, saudade de nunca ter te tido.
A única conquista da minha vida que eu não conquistei. Eu sinto Flor!
Faço papel de idiota na frente das pessoas, na minha frente, na sua frente.
Me olha, me abraça e por favor, me respeita!”

Nenhum comentário: