quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Um dia...

Eu sou careta.
Sou uma moça antiga, uma moça caseira.
Espero sim viver um amor de começo.
Daqueles embalados em uma unica canção. Um bolero vermelho cetim...
E com ele sentir os louros da paixão.
Perder a coragem e me arrumar muito, ás tardes, esperando sua chegada.
Então teria fé que duraria para sempre, o que se passaria correndo.
E se preciso, reviveria o medo, e assim olhá-lo com intensidade.
Um dia... Um homem apenas meu.

Nenhum comentário: